[Resenha] Guardiões da Galáxia

O mais divertido de todos do Marvel Studios, “Guardiões da Galáxia” é um Star Wars da nova geração e um dos sucessos mais arriscados do estúdio desde “Homem de Ferro” (2008), pois lançar uma película tão bem produzida com personagens de terceiro escalão da Marvel como os Guardiões foi bem ousado, mas graças aos ótimos efeitos especiais, a trama bem contada, as atuações – tanto as live action quanto as dublagens – e a direção de James Gunn, deu tudo certo para tornar esse filme sensacional!
Gunn fez um pouco como Joss Whedon em “Os Vingadores” e deu destaque igual para os cinco heróis Senhor das Estrelas (Chris Pratt, da série “Parks and Recreation”), Gamora (Zoë Saldana de “Avatar”), Drax (Dave Bautista, que teve uma boa atuação para um lutador de wrestling), Rocky e Groot (as dublagens de Bradley Cooper e Vin Diesel estão tão excelentes que eu cheguei a vê-los encarnados nos personagens criados por computação).
“Guardiões da Galáxia” é um filme de aventura, ficção científica e muito mais engraçado do que muitas comédias por aí, pois essa era mesmo a linha que o Marvel Studios escolheu seguir ao escolher Gunn, que dirigiu comédias como “Super” (2010), e que também é corroteirista ao lado de Nicole Perlman, e o protagonista “humano” Chris Pratt vir de uma série de humor.

A trama se inicia num planeta abandonado onde o saqueador Peter Quill, que adora ser chamado de “Senhor das Estrelas”, aparece invadindo um templo e roubando um artefato misterioso conhecido apenas como “O Orbe”, e acaba despertando a ira de Ronan (Lee Pace, de “O Hobbit”), que tem interesse no objeto, e envia Gamora para caçar Quill. Nosso herói ainda tem uma recompensa por sua cabeça por trair seu líder e tutor Yondu (Michael Rooker, de “The Walking Dead”), o que chama a atenção dos mercenários Rocky, um guaxinim que tem um gosto por armas grandes, e Groot, um dócil alienígena em forma de árvore e, em Xandar, planeta sede da Corporação Nova, liderada por Nova Prime (Glenn Close quase revivendo Malvina Cruela com seu visual), os quatro se engalfinham e acabam sendo presos e enviados para a prisão, onde conhecem Drax, o Destruidor, que quer se vingar de Ronan pela morte de sua família, e a partir daí a trama começa a engrossar e as confusões que o quinteto se mete os levam a vários pontos do universo e a enfrentar os mais terríveis perigos. Ainda temos as presenças de o Colecionador (Benicio del Toro), Thanos (Josh Brolin) e Nebulosa (Karen Gillan, da série “Doctor Who”), irmã e rival de Gamora.

A trama do filme fugiu em algumas coisas dos quadrinhos, como o fato da Gamora original ser considerada “a mulher mais letal do universo” e nunca sorrir, a Nebulosa ser na verdade neta e não filha de Thanos, e o cão Astro, que aparece rapidamente em duas cenas, nas HQs ser telepata e guardião de Luganenhum, e não um item na coleção do Colecionador, mas enfim, nada que estragasse muito a mitologia da super-equipe.
Sobre a cena pós-créditos, dessa vez não parece ser um gancho para futuros filmes do Universo Cinematográfico Marvel, e sim mais uma piada interna do próprio filme, e é bem rapidinha.

Resumindo, “Guardiões da Galáxia” é um tiro certo do Marvel Studios e tem tudo para ser um sucesso de bilheteria e crítica. Mal posso esperar pelo próximo filme Marvel nos cinemas, que chega só em maio do ano que vem, mas ainda bem que é “Vingadores: A Era de Ultron”, né? *-*

Título original: “Guardians of the Galaxy”.
Ano: 2014.
Diretor: James Gunn.
Elenco: Chris Pratt, Zoë Saldana, Bradley Cooper, Vin Diesel, Glenn Close.
Duração: 121 minutos.
Nota: 9,5.

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s