[Cinema] Disney/Marvel anuncia 9 filmes até 2019!

Na tarde de hoje (28), o pessoal da Disney/Marvel Studios anunciou 9 filmes até 2019. Serão eles:

Captain-America-3-Civil-War-logo

“Captain America: Civil War” (6 de maio de 2016):
Sim, vai mesmo acontecer! Chris Evans e Robert Downey Jr. subiram ao palco durante o anúncio para promover a notícia. Este é um dos filmes mais esperados pelos fãs, pois vai mostrar “Guerra Civil”, uma das melhores sagas Marvel de todos os tempos!

dr strange
“Doutor Estranho” (4 de novembro de 2016):
Não confirmaram que Benedict Cumberbatch fará o papel-título, mas parece que as negociações com o ator já estão dadas como certa. Será uma vitória e tanto porque ele é um baita atorzão!


“Guardiões da Galáxia 2” (5 de maio de 2017):
Taí filme que tem uma responsabilidade enorme de se igualar ou superar o genial primeiro.

thor

“Thor: Ragnarok”
(julho de 2017):
O 3º filme do Thor vai contar o fim dos deuses de Asgard? Provavelmente.

black panther

“Pantera Negra” (3 de novembro de 2017):
Confirmaram o ator Chadwick Boseman (“James Brown”) como o papel-título, e também a arte conceitual do uniforme do rei de Wakanda.

P Negra

Não ficou FODA??? *–* Ah! E Kevin Feige, o chefão do Marvel Studios, disse que há um easter egg do Pantera no trailer de “Vingadores: A Era de Ultron”. Acredito se tratar do personagem interpretado por Andy Serkis que se parece muito com o Dr. Ulysses Klaw, o vilão Garra Sônica.

cap marvel
“Capitã Marvel” (6 de julho de 2018):
SIMMMM!! A Marvel criou vergonha na cara e vai finalmente lançar um filme de super-heroína! E com a própria Carol Danvers! Só queria saber logo quem vai ser a atriz no papel…

avengers
“Vingadores: Guerra Infinita” (em duas partes: em maio de 2018 e maio de 2019):
Finalmente veremos os Vingadores contra Thanos! E provavelmente com os Guardiões da Galáxia no meio! \o/

inumanos
“Os Inumanos” (2 de novembro de 2018):
Como será, ninguém sabe. Única certeza que tenho é que os Inumanos serão os “mutantes” do Marvel Studios.

Disney/Marvel anunciou essa cacetada de filmes em resposta à Warner/DC, há alguns dias? Sim e não, até porque em algum momento eles teriam que anunciar os novos filmes da Fase 3 do Universo Cinematográfico Marvel, né?

E, lembrando, que antes de “Doutor Estranho”, ainda teremos “Vingadores: A Era de Ultron” e “Homem-Formiga”, em abril e julho de 2015, respectivamente.

Cês acham que eu surtei pouco aqui, é? <o>

Fontes: Judão, Omelete e Newsarama.

Trailer legendado de “Os Vingadores: A Era de Ultron”!

Ontem a internet quase veio abaixo quando vazou uma versão de baixa qualidade do trailer de “Os Vingadores: A Era de Ultron”, que estava marcado apenas para o dia 28/10. Algumas horas após o vazamento, a Marvel Studios divulgou a versão oficial do 1º trailer do filme, que eu trago a vocês em versão legendada:

Nele vemos grande destaque para os gêmeos Mercúrio (Aaron Taylor-Johnson) e Feiticeira Escarlate (Elizabeth Olsen), além de Bruce Banner/Hulk (Mark Ruffalo). Intrigante a cena em que o Gigante Esmeralda enfrenta a armadura Caça-Hulk (Hulkbuster) do Homem-de-Ferro, pois ainda não está claro se o alter ego de Banner apenas perdeu o controle, está sendo controlado por terceiros ou se a armadura em questão está sob o domínio de Ultron, o vilão robótico do filme. O trailer é narrado pelo próprio Ultron (com a voz que dá medo do James Spader), enquanto toca “I’ve Got no Strings”, uma das canções de “Pinocchio”, para mostrar que agora ele não é mais um fantoche. Aliás, o visual dele é bem medonho (no bom sentido), lembrando um pouco “O Exterminador do Futuro”.
O clima do vídeo é bem sombrio e dramático, diferente de tudo o que a Marvel Studios já fez, numa vibe apocalíptica que orna bem com o Ultron dos quadrinhos que quando aparece, sempre é como uma ameaça global com o intuito de destruir a Humanidade.

Ontem também foi divulgado o 1º teaser poster do longa:

Vingadores-2-A-Era-De-Ultron-Cartaz-22Out2014
“Os Vingadores: A Era de Ultron” estreia em maio de 2015.

Blog Action Day 2014: Desigualdade #BAD2014 #Inequality

Blog Action Day 2014

Explicando o Blog Action Day: é uma ação organizada pelo grupo change.org e que ocorre uma vez por ano, envolvendo blogueiros em todo o mundo, e todos se unem para falar de um mesmo assunto importante, escolhido previamente. Neste ano o tema é Desigualdade, seja ela de qualquer tipo.

Coincidentemente, no dia 14/10, o Credit Suisse Research, grupo de pesquisa do banco suíço, divulgou o resultado de que apenas 1% da parcela mais rica do mundo possui praticamente metade da riqueza global. O relatório também mostra que a desigualdade continua crescendo, ecoando a acusação de ONGs de que a recuperação econômica da crise de 2008 “beneficiou os mais ricos”.

O Brasil é um ótimo exemplo de desigualdade social, isso facilmente visível nos grandes centros urbanos, onde vemos bairros tidos como “nobres” dividindo espaço com bairros pobres e favelas, refletindo nosso gritante contraste social.
Obviamente o país cresceu muito nos últimos anos, inclusive saindo do mapa da fome da ONU, mas há muito ainda a ser conquistado, e outras injustiças sociais precisam ser corrigidas, mas já estão num bom caminho, como as cotas raciais nas faculdades e o Bolsa Família.

Outra coisa que precisa ser corrigida e que eu não canso de bater nessa tecla tanto aqui no blog quanto nas minhas redes sociais são os direitos igualitários à comunidade LGBT que, apesar de já ser possível ter reconhecimento civil com o casamento entre pessoas do mesmo sexo, ainda não temos uma LEI propriamente dita que assegure esse direito, pois basta uma mudança de cadeiras no Judiciário e essa medida pode ser derrubada a qualquer momento. Além disso, faz-se urgir o direito a adoção por casais LGBT, entre outros.

Não “puxo a sardinha” só “pra minha brasa”, eu defendo os direitos humanos de todos, mas principalmente das minorias – indígenas, quilombolas – e dos historicamente injustiçados – negros e mulheres.
Negros ainda sofrem muita discriminação num país que, ironicamente, é tão miscigenado como o nosso, ainda são tratados com desconfiança e desrespeito pelas forças policiais e de segurança privada, pela classe política e parte dos religiosos, e a maioria dos jovens assassinadas hoje no Brasil são negros; os negros ganham menos do que os brancos, e isso precisa ser mudado. Claro que não é fácil apagar 300 anos de injustiça assim de uma hora para outra, mas facilitar a eles o acesso à educação e ao trabalho igual ao dos brancos ainda é o melhor caminho.
Já as mulheres tiveram muitos avanços nas últimas décadas, porém ainda sofrem diariamente com o machismo da sociedade patriarcal, e têm mais dificuldades em obter os mesmos benefícios dados aos homens na maioria dos âmbitos cotidianos.

As desigualdades, não só no Brasil, mas como no mundo do todo, são inúmeras, e há muito trabalho a ser feito não só pelos governos como por todos e – principalmente – os cidadãos comuns, que, com pequenas ações no dia a dia, podem fazer a diferença.
E tem gente por aí que ainda defende a meritocracia…

P.S.: Leia as minhas participações em 2010, 2011 e 2013 (em 2009 eu estava no Blogger e infelizmente o blog não possuía arquivo, e em 2012, o meu blog perdeu a maioria dos posts).

Gays homofóbicos: até quando?

Estava eu conversando com um carinha – gay, claro – no Whatsapp, quando, de repente, entrou no assunto “gays que usam as unhas grandes”. Segue print da conversa:

Conversa homofobica

O áudio que enviei para ele está abaixo, só ignorem duas coisas:
– A parte em que eu falo “as lésbicas gays” (nossa kkkk);
– E o fato de que sou campeão mundial em não gravar o áudio até o final, mas mesmo assim dá pra entender o que eu quis dizer no fim do mesmo.

Áudio wpp Gilga.wma

Enfim, né, gente. É exatamente o que eu digo no áudio: vai ser difícil a comunidade LGBT conseguir – não digo apenas no Brasil, como em todo o mundo – direitos igualitários enquanto não nos unirmos para lutar por eles, e enquanto houver essas divisões despropositadas dentro da própria comunidade gay, muitas delas levadas por pura homofobia (mas vejam só a ironia!) e padrões heteronormativos. Ora, você até pode ser gay, mas não pode ser “bichinha”, não pode ser afeminado, não pode ser travesti, drag ou transexual, tem que se vestir “comportado”, como “macho”, tem que ser “discreto”, não “dar pinta”, não levantar bandeiras. Ah, faça-me o favor! Se você é gay e pensa assim, vá se foder! Você é uma vergonha para nós gays! Nem gay você pode ser considerado!
E a questão não para apenas no preconceito machista, homofóbico e heteronormativo da coisa; gays que segregam as “tribos”, como os “ursos” (pq acha ser gordo feio), as “barbies” (gays sarados, pq acredita-se que eles não tem nada na cabeça e só pensam em malhar), as bichas “pão-com-ovo” ou “poc-poc” (pq são pobres ou tem “mau gosto em se vestir”/não andam “na moda”), etc etc. Qualquer peculiaridade já é motivo para discriminar nossos irmãos – sim, porque somos todos iguais -, se o outro não pensa, age ou se veste como você, não merece seu respeito, acha feio e tenta isolar isso da sua vida… Burrice, cara! Claro que isso ocorre muito entre os heterossexuais, afinal, se falar outra língua, tiver outra religião ou etnia, e até torcer pra outro time de futebol, já é motivo o suficiente para querer inclusive matar uma pessoa, mas nós, LGBTs, não podemos nos dar esse “luxo”. Já somos vítimas de preconceito diário pela maioria heterossexual, e ainda vamos discriminar a nós mesmos? Nós, que somos uma minoria tão injustiçada? Não, caras! Temos que nos unir e nos protegermos COMO NUNCA, pois somos vítimas há séculos e temos que dar um fim urgente nessas injustiças!
Ponham a mão na consciência, por favor.

[Resumão] New York Comic Con 2014

Olá, galerinha!
Então, vim trazer algumas novidades surgidas na NYCC 2014, ocorrida entre os dias 9 e 12 de outubro, em Nova York. Separei 7 coisas novas que veremos no cinema, quadrinhos e TV entre o final do ano e 2015. São elas:

Operação Big Hero 6:
Divulgado trailer completo da animação da Disney baseada em personagens da Marvel (já falei sobre ela aqui). Vemos mais sobre a criação do simpático robozão Baymax e os outros personagens aparecem mais, incluindo o vilão da trama. Assista:

Tomorrowland:
Não, não é a rave. É um filme de ficção científica da Disney sobre universos paralelos, com George Clooney no elenco. Achei bem interessante. Assista ao primeiro teaser:

Guardiões da Galáxia (série animada):
Depois do sucesso estrondoso da equipe cósmica nos cinemas (minha resenha aqui), nada mais justo do que fazer um desenho animado com os Guardiões, né? E como a Disney/Marvel não são nada bobas, aqui vai o teaser, bem engraçadinho, da série animada:

Secret Wars:
É a nova saga da Marvel nos quadrinhos, com o nome de uma antiga (o 1º crossover da editora, lançado em 1984). Pela imagem promocional divulgada, vemos uma guerra entre várias realidades alternativas. Parece até “Crise nas Infinitas Terras” da rival DC, mas vamo ver como vai ficar, né. Estou curioso. Sai no primeiro trimestre de 2015.

Clique para ampliar.

Clique para ampliar.

Demolidor (a série):
Em 2015, veremos a 1ª série da Marvel no Netflix, “Daredevil”, e vimos as primeiras imagens da mesma. Temos o ator Charlie Cox como Matt Murdock (ficou “OK”) e depois vestindo um uniforme genérico do Homem sem Medo. Quem olha assim rapidamente, pode pensar que foi baseado naquela versão medonha do herói cego no filme “O Julgamento do Incrível Hulk” (1989), mas na verdade foi inspirado no visual criado pelo desenhista John Romita Jr para a minissérie “O Homem sem Medo” (1993), considerada o “ano um” do Demolidor. Expectativa alta na série, hein.

Daredevil-vert

Powers (série também):
Baseada nas HQs homônimas de Brian Michael Bendis e Michael Avon Oeming, a série conta conta com Sharlto Copley (“Distrito 9” e “Elysium”) no papel principal, Christian Walker, um ex-super-herói que perdeu seus poderes e foi convidado para ser um detetive que investiga casos policiais que envolvem superpoderosos. Não li o quadrinho mas a premissa é ótima, hein. A série vai ser exibida pela PSN (sim, vai dar pra ver pelo seu Playstation). O trailer:

Fantastic Fourever:
A Marvel vai acabar com o Quarteto Fantástico nos quadrinhos. Eles não admitem, mas todos sabem que é por causa do filme (reboot) do Quarteto dos estúdios Fox que vai sair ano que vem, para não “promover” o produto da concorrente. Ora bem, acho de uma tremenda de uma burrada da Casa das Ideias, pois se vai ter um filme novo dos personagens e, provavelmente, como sempre acontece depois de um filme baseado em quadrinhos, que o público conquistado pelo cinema procure as HQs, fazendo com que a editora ganhe dinheiro igual. Mas OK, né.
O arco vai se chamar “Fantastic Fourever” e vai mostrar a equipe Invasores caçando – sabe-se lá porque – Reed Richards.

Fonte: Omelete.

Puro Amor #29

O gato do mês se chama Daniel Sharman. Ele é um ator britânico nascido em Londres, tem 28 anos (25/04/1986), 1,88m de altura e belos olhos esverdeados.

tumblr_myudr18kqg1tnboe1o1_500

Daniel interpretou o jovem deus Ares no filme “Imortais” (2011), é o lobisomem Isaac na série “Teen Wolf” e atualmente está em “The Originais” como o bruxo Kaleb.
Confira comigo de pertinho sua beleza na galeria abaixo:

Ele tem um sorriso e um olhar que são capazes de derrubar impérios. Ui ui ui, mamãe! *–*

Siga também meu Tumblr repleto de delicinhas, o Ô, Lá em Casa!.

[Resenha] Da Vinci’s Demons

Minha gente, que série maravilhosa… Sem palavras!

Na verdade, tenho algumas palavras sim:
“Da Vinci’s Demons”, uma série da Starz e exibida por aqui pela Fox, é produzida por David S. Goyer (“Blade”, “Batman Begins”) e tem como temas algumas das coisas que mais curto: ficção histórica e Leonardo da Vinci (que é um dos meus Ícones da Humanidade™ favoritos).

Zoroastro, Nico e Leonardo prestes a entrar numa confusão.

Zoroastro, Nico e Leonardo prestes a entrar numa confusão.

Com uma ambietação fantástica (em alguns momentos me senti jogando “Assassin’s Creed” mesmo nunca tendo jogado rs), a trama se passa em 1477 na República de Florença, e temos como herói um Leonardo da Vinci com 25 anos de idade (interpretado por Tom Riley), no auge de toda sua genialidade, e acaba se tornando o engenheiro militar de Lorenzo de’ Medici (lê-se “Medítchi”, e não “Médici” como estamos habituados, interpretado por Eliott Cowan), que é o banqueiro mais rico da Europa e também o líder da República. Daí que Florença é o único Estado italiano que não responde diretamente ao Papa, um dos vilões mais terríveis da TV atualmente, Sixtus (Sisto IV, interpretado por James Faulkner), que tenta de tudo para fazer com que a República florentina faça parte dos chamados “Estados papais”. Ao lado de Da Vinci ainda temos seu fiel assisitente, Nico Machiavel (Eros Vlahos) e o golpista tarólogo Zoroastro, ou “Zô” (o lindo Greg Chiller), e ainda seu maestro Verrochio (Allan Corduner); no lado dos vilões também temos um dos piores de todos, o psicopata com voz mansa Riario (Blake Ritson). Não fosse só o fato de Roma querendo colocar as mãos em Florença e ainda Da Vinci se vê mergulhado numa espiral de mistérios, intrigas e traições (no melhor “estilo Game of Thrones”), e acaba em busca do Livro das Folhas, um item lendário que conta-se ter os mais incríveis segredos dos Atlantes, livro este que está sendo procurado por uma ordem secreta e milenar chamada de “Os Filhos de Mitra”. A série também tem muito sexo, nu frontal e violência gráfica, não ficando muito atrás das séries da HBO…

Conde Riario e Papa Sixtus IV, vilões terríveis.

Conde Riario e Papa Sixtus IV, vilões terríveis.

A seguir, um breve resumo dos acontecimentos mais importantes, com alguns spoilers, que estão protegidos com letras brancas. Para ler, por sua conta e risco, selecione o texto com o mouse:

1ª temporada:
– Leonardo recebe do misterioso “Turco” (Alexander Siddig) a missão de procurar pistas da localização do Livro das Folhas;
– Ele ainda acaba se envolvendo com a belíssima Lucrezia Donati (Laura Haddock), a teúda-e-manteúda™ de Lorenzo;
– Da Vinci, sempre angustiado por não conhecer sua mãe, encontra pistas sobre o paradeiro e feitos dela;
– Quinze anos antes de Cristóvão Colombo chegar na América do Norte, Leonardo acaba descobrindo que há uma porção de terra à oeste, além do Oceano Atlântico.
2ª temporada:
– Riario, Da Vinci e seus comparsas – agora com a ajuda de Amerigo Vespucci (Lee Boardman), enfrentam uma odisseia digna de Ulisses em alto mar e desembarcam em terras selvagens e desconhecidas em busca do Livro das Folhas;
– Um dos pontos altos dessa temporada é ver Da Vinci e Riario trabalhando juntos, a contragosto;
– Dois personagens importantes morrem, um deles, dos meus favoritos; 😥
– Duas tramas são reveladas, jogando os telespectadores no chão;
Além disso, durante as duas temporadas, nosso herói tem a oportunidade de conceber alguns inventos que só puderam ser finalmente construídos séculos depois – provando que Da Vinci era um Homem a frente de seu tempo™ – tais como asas planadoras, escafandro, submarino e um veículo com tração automática.
Outra coisa que gostei bastante na série é dos “crossovers” históricos, tais como quando Leonardo encontra Vlad III, o próprio “Drácula” em pessoa, e, obviamente, Leonardo da Vinci em Macchu Picchu.

A série tem até o momento 18 episódios (8 na primeira, e 10 na segunda), e retorna só no ano que vem sem data marcada.
No final da segunda temporada, o caldo entorna pra valer, colocando o poderoso Império Otomano contra Roma e um dilema explosivo para Leonardo. Por isso que mal posso esperar pela próxima temporada!

Título original: “Da Vinci’s Demons”.
Ano de estreia: 2013.
Criado e produzido por: David S. Goyer.
Elenco: Tom Riley, Laura Haddock, Blake Ritson, Elliot Cowan, Lara Pulver e James Faulkner.
Duração: 18 episódios de +/- 55 minutos cada.
Nota: 9.

Apenas que:

Novo trailer de Final Fantasy XV e mais

Ontem saiu novo trailer de “Final Fantasy XV”. Assistam primeiro e depois eu comento.

O jogo tá incrivelmente lindo (apesar de eu ter minhas ressalvas quanto a gráficos demasiadamente realistas que fazem os jogos hoje em dia parecerem um filme, mas isso é assunto para um outro dia), e mostra quatro personagens masculinos andando de caranga e enfrentando monstros dos mais variados tipos e tamanhos (têm uns que são bem colossais). Tô bem curioso em como vai ser o sistema das batalhas, tá parecendo que vai ser um RPG de ação tipo Kingdom Hearts.
O game vai estrear sabe lá quando em 2015 (mas segundo estão falando, vai ganhar uma demo “”em breve””), e parece que vai ficar foda sim, até porque já são 8 anos que a Square-Enix tá produzindo ele, mas enfim…

E tem mais novidades: uma caralhada de spin-offs da saga foram anunciadas para diversas plataformas, tais como o remake HD  de “Final Fantasy Type-0” (para XOne e PS4), o lançamento de “Final Fantasy XIII” para PC e Steam, “Final Fantasy VII: G-Bike” (você joga com o Cloud de motinha, trailer aqui), e um outro que chamou bastante minha atenção que foi “Final Fantasy Explorers”. Veja o trailer:

Gostei que os personagens têm jobs clássicas de FF: knight, paladin, monk, white mage, black mage e mais uma que não consegui identificar (se eu descobrir, atualizo aqui), além de poder jogar com personagens de outros capítulos da saga, tais como Cloud, Squall, Terra e Lightning (revelados até então). O jogo é tipo um “monster hunter” e será lançado para 3DS em 18 de dezembro.

Fontes: Gamesfoda e Kotaku.

[Resenha] Looking

OK, a série da HBO estreou em janeiro deste ano e terminou há 6 meses, mas só no último fim de semana é que tive a oportunidade de assistir a toda primeira temporada (até porque são só 8 episódios mesmo) e curti de montão.
Bom, digamos que “Looking” não é uma série para heterossexuais (a não ser que você tenha, digamos, um “estômago forte” rs). Conta a história de três amigos gays que moram juntos: Dom (Murray Bartlett), que é um garçom que tem o sonho de abrir um restaurante; Patrick (Jonathan Groff), trabalha como level designer numa produtora de games (apesar de basicamente só aparecer fazendo modelagem de personagens no 3DS Max); e Agustín (Frankie J. Alvarez), trabalha para uma artista plástica mas tem o sonho de produzir sua própria arte. A trama acontece na maravilhosa San Francisco e, se a cidade for assim como é mostrada na série (pra quê Grindr se os caras te cantam dentro do ônibus? kkkk), quero morar lá.

Agustín, Patrick e Dom.

Agustín, Patrick e Dom.

Os personagens principais são meio enrolados, a começar por Agustín, que parece não saber o que quer da vida, tem um namorado, o Frank (O. T. Fagbenle), e uma tara por ménages e drogas; Já Patrick é um viado desesperado, tá sempre caçando e acessando sites tipo OK Cupid e Manhunt, e é o que mais tem pretendentes (talvez por ser o mais bonito deles). A trama dele é a que mais se desenrola na temporada; E por fim, temos Dom, que é o mais velho e mais centrado deles, e que corre atrás do seu sonho de abrir um negócio (no caso, um restaurante).
Confesso que os protagonistas são muito otários em vários momentos, ao ponto de me deixarem com raiva, e se eu tivesse que escolher um personagem forte e engraçado, seria Doris (Lauren Weedman), a amiga hétero deles. E também tem o Richie (Raúl Castillo), um cabeleireiro mexicano que é um interesse romântico do Patrick, que é uma gracinha ♥

Richie, casa comigo? ♥

Richie, casa comigo? ♥

A série é despretensiosa, e mostra o cotidiano dos caras com boas doses de humor e drama, eu diria que é um “Sex and the City” gay (mesmo eu não tendo assistido, acho que deve ser), e as cenas de sexo até que não são tão fortes, como em outras séries do canal (como “True Blood” e “Game of Thrones”), não rola nu frontal e essas coisas, achei que as cenas de sexo são bem comedidas até.
Apesar dos altos e baixos das vidas de Dom, Patrick e Augustín, a série me cativou, e já quero assistir a 2ª temporada, que já foi confirmada para o ano que vem (sem data de estreia) e terá, dessa vez, 10 episódios.
Recomendo!

Título original: “Looking”.
Ano: 2014.
Produtores: David Marshall Grant, Sarah Condon e Andrew Haigh.
Elenco: Jonathan Groff, Frankie J. Alvarez e Murray Bartlett.
Duração: 8 episódios de 30 minutos cada.
Nota: 8,5.

[Resenha] Guardiões da Galáxia

O mais divertido de todos do Marvel Studios, “Guardiões da Galáxia” é um Star Wars da nova geração e um dos sucessos mais arriscados do estúdio desde “Homem de Ferro” (2008), pois lançar uma película tão bem produzida com personagens de terceiro escalão da Marvel como os Guardiões foi bem ousado, mas graças aos ótimos efeitos especiais, a trama bem contada, as atuações – tanto as live action quanto as dublagens – e a direção de James Gunn, deu tudo certo para tornar esse filme sensacional!
Gunn fez um pouco como Joss Whedon em “Os Vingadores” e deu destaque igual para os cinco heróis Senhor das Estrelas (Chris Pratt, da série “Parks and Recreation”), Gamora (Zoë Saldana de “Avatar”), Drax (Dave Bautista, que teve uma boa atuação para um lutador de wrestling), Rocky e Groot (as dublagens de Bradley Cooper e Vin Diesel estão tão excelentes que eu cheguei a vê-los encarnados nos personagens criados por computação).
“Guardiões da Galáxia” é um filme de aventura, ficção científica e muito mais engraçado do que muitas comédias por aí, pois essa era mesmo a linha que o Marvel Studios escolheu seguir ao escolher Gunn, que dirigiu comédias como “Super” (2010), e que também é corroteirista ao lado de Nicole Perlman, e o protagonista “humano” Chris Pratt vir de uma série de humor.

A trama se inicia num planeta abandonado onde o saqueador Peter Quill, que adora ser chamado de “Senhor das Estrelas”, aparece invadindo um templo e roubando um artefato misterioso conhecido apenas como “O Orbe”, e acaba despertando a ira de Ronan (Lee Pace, de “O Hobbit”), que tem interesse no objeto, e envia Gamora para caçar Quill. Nosso herói ainda tem uma recompensa por sua cabeça por trair seu líder e tutor Yondu (Michael Rooker, de “The Walking Dead”), o que chama a atenção dos mercenários Rocky, um guaxinim que tem um gosto por armas grandes, e Groot, um dócil alienígena em forma de árvore e, em Xandar, planeta sede da Corporação Nova, liderada por Nova Prime (Glenn Close quase revivendo Malvina Cruela com seu visual), os quatro se engalfinham e acabam sendo presos e enviados para a prisão, onde conhecem Drax, o Destruidor, que quer se vingar de Ronan pela morte de sua família, e a partir daí a trama começa a engrossar e as confusões que o quinteto se mete os levam a vários pontos do universo e a enfrentar os mais terríveis perigos. Ainda temos as presenças de o Colecionador (Benicio del Toro), Thanos (Josh Brolin) e Nebulosa (Karen Gillan, da série “Doctor Who”), irmã e rival de Gamora.

A trama do filme fugiu em algumas coisas dos quadrinhos, como o fato da Gamora original ser considerada “a mulher mais letal do universo” e nunca sorrir, a Nebulosa ser na verdade neta e não filha de Thanos, e o cão Astro, que aparece rapidamente em duas cenas, nas HQs ser telepata e guardião de Luganenhum, e não um item na coleção do Colecionador, mas enfim, nada que estragasse muito a mitologia da super-equipe.
Sobre a cena pós-créditos, dessa vez não parece ser um gancho para futuros filmes do Universo Cinematográfico Marvel, e sim mais uma piada interna do próprio filme, e é bem rapidinha.

Resumindo, “Guardiões da Galáxia” é um tiro certo do Marvel Studios e tem tudo para ser um sucesso de bilheteria e crítica. Mal posso esperar pelo próximo filme Marvel nos cinemas, que chega só em maio do ano que vem, mas ainda bem que é “Vingadores: A Era de Ultron”, né? *-*

Título original: “Guardians of the Galaxy”.
Ano: 2014.
Diretor: James Gunn.
Elenco: Chris Pratt, Zoë Saldana, Bradley Cooper, Vin Diesel, Glenn Close.
Duração: 121 minutos.
Nota: 9,5.